.




.

Educar é semear

Alfabetização sem mistério

Por Rute Góes

Sabemos que desde a antiguidade, antes do surgimento das primeiras letras, o homem desenhava nas paredes das cavernas para deixar sua marca, representar suas ideias e contar o tempo. Nos dias atuais, vivemos em um mundo letrado e a criança recebe desde muito cedo diversos estímulos para seu desenvolvimento e formação de conhecimentos prévios sobre a escrita.

A família fica muito ansiosa para poder ouvir da professora o tão esperado "seu filho está lendo", mas é importante respeitar o avanço de cada um pois essa fase, assim como as outras do amadurecimento, deve ser respeitada e vivida com tranquilidade por todos os envolvidos no processo.

Vamos observar algumas citações de estudiosos na educação e como se dá esse processo para a criança

A Pesquisadora em educação Magda Soares afirma que a alfabetização da criança começa muito antes de seu ingresso na escola.

A partir do momento que o aluno pega no lápis surgem os rabiscos ou garatujas como denominados por Piaget, uma referência na pedagogia, que nada mais são do que traços aleatórios no papel, na tentativa de representar o mundo. Nessas primeiras tentativas da escrita a criança mistura linhas e retas tentando representar seu pensamento.

Segundo o Professor Cagliari (1998), a escrita é um fenômeno social e cultural e evolui com o passar do tempo, não existindo uma idade certa para escrever, a criança expressa a escrita, através de um rabisco, um desenho ou uma brincadeira com lápis.

Em sua pesquisa sobre "A psicogênese da língua escrita", Emília Ferreiro afirma que a criança formula hipóteses da escrita e faz esforços intelectuais para construção de palavras na tentativa de representação da fala e do pensamento.

Ferreiro e Teberosky (1999) a criança tem ideias próprias sobre o que escreve e formula hipóteses ao expressar-se por meio da escrita. A aprendizagem acontece na medida em que constrói o raciocínio lógico e apresenta o processo evolutivo de aprender a escrever passando por níveis de conceitualização que revelam as hipóteses.

No nível pré-silábico o aluno ainda não relaciona o som da letra com o seu grafismo, portanto, nesta fase é comum a mistura de desenhos, rabiscos e letras.

Já no silábico existe um entendimento da correspondência entre as letras e o que é falado. Mesmo sem haver relação entre representação gráfica e a Língua Portuguesa, para a criança cada sílaba possui uma letra.

Para o silábico-alfabético a criança nota que em determinadas situações as sílabas são formadas por mais de uma letra.

E finalmente, no nível alfabético eles reproduzem corretamente os fonemas de uma palavra, percebendo o valor de letras e sílaba, mas ainda apresenta muitos erros ortográficos.

É importante lembrarmos que cada aluno tem seu ritmo e, que por volta de 7 anos em média, já dominem razoavelmente a leitura e a escrita e, sem dúvida, uma criança que convive com estímulos, certamente terá mais interesse e o processo de alfabetização será mais fácil.

Um grande beijo.


Rute Góes recebe homenagem de sua equipe no Dia do Diretor Pedagógico

Neste dia 12 de novembro, a nossa colunista Rute Góes participou de um dia cheio de surpresas nas escolas que dirige em Pirassununga, São Paulo.

A equipe docente preparou uma série de surpresas, entre elas, um almoço especial, com todo capricho para a homenageada, e convidou o Novo Contexto para registrar esse momento! 

Então, segue em sua coluna, Rute, o que suas professoras escreveram sobre trabalhar em conjunto com você, ensinando e aprendendo com as crianças todos os dias, além de auxiliar as famílias que confiam a educação de seus filhos e caminham com vocês formando pessoas de bem e cidadãos. Nossos parabéns também!

Diretora Rute, hoje queremos lhe agradecer. Por todo o seu esforço na direção e no cuidado com a nossa escola. Seu empenho diário de sempre dar o seu melhor para a nossa organização, para o desenvolvimento dos alunos e para o bom ambiente que se faz presente na escola. Que Deus continue abençoando a sua vida. PROFESSORA LINDALVA

Rute, ser diretora com certeza é um desafio e uma conquista diária. Que você continue a busca constante por práticas e resultados melhores alcançando assim excelência em seu trabalho.Sua liderança, sua preocupação e sua dedicação é o que fazem você uma pessoa especial. Parabéns pelo seu dia!!! Beijos, PROFESSORA GRAZI

Ser diretora/gestora de pessoas é uma arte que requer, talento, dedicação, sabedoria, resiliência e equilíbrio. Não desista jamais, Rute, de buscar a excelência em tudo que fizer. Parabéns pelo seu dia. PROFESSORA LUCIA

Rute, o sentimento é gratidão. Gratidão a Deus por termos você como nossa diretora, amiga e irmã! Admiro seu coração nobre e sua maneira de conduzir com brilhantismo sua vocação!Super beijo no seu coração. PROFESSORA NATHALIA

Sou muito feliz por ter você como minha diretora. Sua capacidade de inspirar as pessoas ao redor é incrível. Seu trabalho é muito importante para todos nesta instituição.Quero agradecê-la por tudo que você já fez por mim, como profissional e como amiga. É muito bom saber que posso contar com sua amizade, com sua parceria e com sua companhia diariamente. Você é uma profissional incrível e espero que continue sempre assim! PROFESSORA CON

Amiga diretora, Hoje é o seu dia e eu so tenho a agradecer pela dedicação que todos os dias demonstra ao comando da escola. A felicidade e o sucesso dos seus alunos serão a melhor recompensa por todo o seu trabalho. Continue sempre assim! MIGA LI ❤

Rute, para se dirigir algo tem que estar habilitado para tal finalidade. E dirigir exige prática, prudência e objetivo para se chegar há algum lugar. Constantemente quem está de carona em algum veículo é participante de todas as ações que o condutor do carro realiza,ao virar, ao parar quando é solicitado,ao buzinar em forma de sinal de alerta,enfim,deve conhecer muito bem o veículo e os lugares por onde percorrer. Diante disso, quero lhe dizer que é muito bom "estar" de carona nesse veículo,que não só tem desempenhado o papel ao qual é designado,mas tem permitido que os "caronas" tenham voz ativa em todo o trajeto. Sucesso, é que Deus estava sempre como condutor principal. PROFESSORA BEL

Ser professora não é fácil, e diretora mais difícil ainda. É por isso que hoje quero lhe deixar uma palavra de agradecimento e profundo respeito pelo trabalho que tem realizado na escola, junto de todos. Não há aluno que não lhe reconheça mérito nem alguém da equipe que não esteja grato por trabalhar ao seu lado. Sinto que todos nos sentimos agradecidos porque percebemos que sua intenção é elevar o ensino e a educação ao ponto que ela merece estar. Que belo trabalho você tem feito! PROFESSORA ACASSIA

A homenagem de hoje não abrange somente ao profissional administrativo, mas essencialmente por seu desempenho na educação. Escola vai muito além de empresa, negócio, local de trabalho, etc. Escola desenvolvem mentes que construirá o futuro do país. É extremamente desafiante tamanha responsabilidade. Parabéns diretora Rute! Dedico a você o nosso muito obrigado. Deus continue lhe dando sabedoria. PROFESSORA ANA

Querida Rute! "A sabedoria já edificou a sua casa..." (Provérbios 9:1). Como iniciar essas poucas palavras sem explicitar o que o Senhor Nosso Deus tem feito em sua vida? Você é especial, pois guarda em si as Palavras do Senhor, isso a edifica e a ensina ser uma líder nata. Você tem lutado pra tornar a vida das nossas crianças suave, tem nos mostrado sua força e garra todos os dias. Podemos contemplar a grandeza do seu amor pelo que faz. Sabe ouvir, sabe compartilhar, surpreende e conquista todos os dias os objetivos almejados. Obrigada por ser a amiga, a diretora, mas principalmente por ser essa pessoa incrível que você é. We are a winning team because we have you! TEACHER: LUCIENE

Rute, você é uma pessoa muito dedicada, o seu empenho e dedicação, as noites sem dormir são apenas algumas características que tornam você uma pessoa especial. Que Deus continue abençoando sua vida sempre, e que a escola possa crescer a cada ano cada vez mais!! Parabéns pelo seu dia! PROFESSORA MARA

Rute, o valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que elas acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. Que sua dedicação e empenho continue inspirando alunos e professores. Parabéns Diretora Rute. PROFESSORA KATIA

D edica-se em

I nstruir

R acionalmente sua equipe;

E ncorajando,

T orcendo e

O fertando seu tempo,

R esiliência e

A mor

Rute, hoje por meio dessa singela homenagem, venho falar da Rute Diretora, pois se eu for falar da Rute pessoa, não saberei expressar tamanha admiração. Muitas vezes me percebo a lhe observar. Como profissional você é cheia de experiências, mas preserva o brilho no olhar de uma recém-formada. Gratidão é a palavra que resume os meus sentimentos por você. Obrigada por me permitir fazer parte de sua equipe. Feliz Dia do Diretor Pedagógico!!!

Com carinho ALANA


VIDA DE PROFESSOR

Por Rute Goés

Dom Pedro I, imperador do Brasil, em 15 de outubro de 1827 formulou a primeira Lei Geral de educação no Brasil criando o Ensino Elementar. Após 120 anos, na cidade de São Paulo, alguns professores se mobilizaram e escolheram essa data como um dia de "parada" para descanso durante o semestre escolar.

Hoje, as escolas no Brasil têm o dia 15 de outubro como uma data separada do calendário anual para homenagear essa profissão tão querida e que é primordial para o desenvolvimento do ser humano.

Para o exercício da docência, é necessário qualificação acadêmica e pedagógica, mas todos os colaboradores escolares (secretaria, limpeza, auxiliar de sala e outros) são agentes formadores e transformadores, ensinam dia-a-dia, ensinam com o exemplo, ensinam com a vida. Vou aqui contar um pouco sobre a equipe que eu trabalho e que nos ensinam tanto...

- Bom, tem professor que é sério, como a Lú de Inglês. Cara de brava. Mas no fundo é nada. Qualquer coisa se desmancha.

- Sabe aquele professor "paz e amor"? De bem com a vida, tranquilão...? Esse é o Silvio de Artes.

- Tem a professora detalhista. Gosta de tudo perfeito e com qualidade, igual a professora Lúcia.

- Já a Ana, é como uma mãe! Na verdade uma mãezona. Cuida e ensina nossos alunos como se fossem seus filhos.

- Toda a escola tem a professora princesa dos contos de fada, a nossa Branca de Neve, ops... professora Grazi é a cara da riqueza.

- Eu acredito que nem o menino maluquinho do Ziraldo consegue tirar a professora Acássia, que é um poço de calma do sério.

- O "tio Jr", como chamam por aqui é 100% saúde e os alunos comentam que ele ensina a melhor disciplina do mundo.

- Tem o professor criativo, esse aqui consegue transformar uma tira de barbante e um pedaço de cartolina em uma peça de teatro. Eu costumo dizer que se alguém precisa de alguma coisa é só pedir pra professora Bel que ela tem.

- A Linda é a professora "caxias". Não falta nunca. Nem por motivo de doença. Está sempre junto de seus alunos.

- Toda escola tem a professora "manteiga derretida"... põe os alunos no colo, abraça e arruma os cabelos. Vira e mexe a professora Mara traz presentinhos para os alunos.

- Já ouviram falar em dupla dinâmica? Então, Kátia e Nathalia agitam a Educação Infantil todos os dias.

- Para a "tia Con" todo o dia é dia de alegria. Não tem tempo ruim. É aquele educador que está sempre disposto a ajudar.

- A Gi, educa em silêncio, somente com atitudes.

- E tem também a tia Alana, pega no colo, abraça, ajuda... vive rodeada de crianças.

- Tem o educador que gosta de tudo certinho. Tipo a tia Elis. Anota tudo, até as vírgulas.

É isso, se tem nessa vida um profissional com tantas características, ou melhor com tantas qualidades, ele é sem dúvida, professor.

Ah, e eu...?

Eu sou a pessoa mais feliz por ter todos eles juntos, tudinho pra mim.

Um super beijo, Rute


Entre quatro paredes

Por Rute Góes

Quando pensamos em escola e sala de aula, logo pensamos em giz, lousa, carteiras e alunos sentados em fila dentro de quatro paredes. Porém, vai além...

A escola é um ambiente rico em estimular e proporcionar ao aluno o desenvolvimento de suas potencialidades por meio de atividades lúdicas e pedagógicas. Mas o aprendizado não se limita exclusivamente a sala de aula. É necessário que o professor conduza o ensino de maneira eficaz, priorizando o desenvolvimento integral do aluno, suprindo suas necessidades e expectativas em vários espaços de conhecimento.

Além de atividades no pátio, quadra e ambientes externos à sala de aula, um recurso compreendido como estudo do meio oferece ao aluno experiências de construção e conceitos, troca de ideias e aprendizado para toda vida.

O estudo do meio chegou ao Brasil nos século XX, resultado da imigração européia e é empreendido como passeios ou viagens proporcionando um momento coletivo de aprendizagem e convivência entre professores, alunos e equipe pedagógica.

Quando pensamos em passeios escolares, o coração dos pais quase sai pela boca de preocupação... Mas é necessário falarmos aqui que esses momentos para os alunos são muito importantes por auxiliarem na maturidade e crescimento, sem contar que para nós da escola, essa confiança em nosso trabalho é fundamental para a vida escolar dos alunos.

O estudo do meio é uma atividade que precisa ser planejada de forma interdisciplinar e muito bem organizada, mesmo porque estamos falando de bens preciosos que são os filhos.

Neste sentido, programamos uma atividade com os alunos do ensino fundamental para a o Jurassicamp em Charqueada, que daqui de Pirassununga (onde fica a escola), são quase 100km de distância. E como tudo que é bom precisa ser compartilhado vou contar a vocês como aconteceu o planejamento de nossa viagem.

  • A Escolha do local: é importante que a equipe pedagógica faça uma visita prévia ao local para verificar o aproveitamento das atividades propostas.
  • Atividades: Sabemos que o estudo do meio permite ao aluno observar, analisar e conhecer fatos e fenômenos que auxiliam na compreensão de situações, podendo estes intervir de maneira crítica sobre aspectos reais vivenciados, por isso, é importante que as atividades propostas alcancem as expectativas dos alunos. Se possível for, momentos de lazer podem ser agregados as atividades.
  • Segurança: Esse ponto é fundamental. O local de visitação não pode trazer riscos aos alunos de maneira nenhuma. O aluguel para o transporte dos alunos com motorista habilitado, cinto de segurança e também professores, monitores e pessoal de apoio suficiente para a quantidade dos alunos.
  • Clima: Outro aspecto primordial. As propostas devem atender as situações climáticas, evitando chuva, frio ou calor excessivo.
  • Vestimenta: Tratando-se de uma atividade escolar, é necessário que todos estejam uniformizados (fator de segurança) considerando é claro as estações do ano. Garrafa para água, protetor solar e boné são peças coringa!
  • Precaução: Precisamos estar preparados para tudo. Ter em mãos uma agenda com todos os nomes e contatos dos pais é imprescindível. Ah... E a maleta de primeiros socorros caso alguém rale os joelhos.

Bom, aproveito aqui o espaço para agradecer à todas as famílias da escola VEM pela confiança que vocês tiveram nesse projeto para os alunos. Em nosso estudo do meio foi possível aprender sobre eras geológicas, fauna, flora, vulcões, brincamos e rimos de montão... Agora é só planejar a próxima viagem.

Um super beijo!

Rute Góes comentou sobre esse artigo. Vejam que interessante!


A importância da brincadeira

Por Rute Góes

A criança brinca o tempo todo. Brinca para experimentar o mundo e se apropriar dele. Desde bebês, brincam com as mãos e pés, e em seu desenvolvimento podemos perceber inúmeros exemplos, quando começam a se esconder atrás de móveis deixando metade do corpo descoberto, imaginando que está invisível.

Depois utiliza objetos para representar situações do cotidiano como: dar "papinha" para a boneca, segurar qualquer objeto na orelha e caminhar de um lado para o outro como se falasse ao telefone ou imagina que uma tampa de panela é o volante de um carro.

Marina Machado em seu livro "O brinquedo-sucata e a criança" (1994) diz que a brincadeira surge da própria criança, que escolheu brincar do seu jeito, no seu tempo e no seu espaço. Ao adulto cabe a responsabilidade em deixar a criança tranquila, livre para fazer suas escolhas. Assim, ela se sentirá mais à vontade para lidar com o mundo à sua maneira, aprendendo o que ela quer aprender. A criança precisa deste espaço para adquirir suas próprias experiências e autonomia. Tem a ver com diversos fatores como os fisiológicos e sociais.

Além disso, o brincar com os filhos reforçam os laços de afetividade, pois demonstra interesse e eleva o nível emocional da criança.

O brincar na escola faz parte do aprendizado?

Quando essa criança chega na educação infantil o que ela quer é brincar, mergulhada em um novo mundo de possibilidades e aprendizado.O professor é o profissional que estimula e conduz os alunos com objetivos que priorizem o desenvolvimento integral do educando.

Diferentemente do adulto que observa a criança brincando ou brinca com ela ao acaso, o professor faz parte da brincadeira com ações previstas em seu plano de ação pedagógica.

As crianças brincam, utilizando os brinquedos, trocando experiências com o outro e construindo assim uma nova realidade. Por exemplo, enquanto alinhavam a placa de mdf com cadarço realizam movimentos que estimulam a coordenação motora fina, a criança converte este ato em um "gesto" de costurar e transforma o aprendizado em uma brincadeira de fazer roupa para as bonecas. Assim imitam, vivenciam e conquistam o mundo a sua volta.

O brincar é uma ação fundamental. A criança brinca na rua, em casa, no chuveiro, na escola e em todos os lugares. Pela brincadeira, a criança fala, pensa, prova dos sentidos e elabora um mundo com novas percepções.

"Todos os momentos do dia de todos os dias da vida eram para aprender e ensinar e de novo ensinar e aprender, vivendo e brincando, trabalhando e sendo..."(Carlos R. Brandão)

Um excelente setembro...abraços. 


O gramado do vizinho é mais verde que o meu?

Por Rute Góes

Existe um ditado popular que diz" o gramado do vizinho é mais verde", no sentido de que o outro tem a casa melhor, o carro, o melhor emprego e também o melhor filho. 

Assim começa a saga interminável "Nossa, seu filho ainda não anda? O meu com 10 meses andava a casa toda"; "Seu filho não lê? O meu com 5 anos lia tudo por onde passava".

CADA CRIANÇA É ÚNICA e tem o tempo certo para se desenvolver. Esse ritmo de desenvolvimento infantil é particular, formado e estruturado respeitando condição biológica, psicológica, social e cultural do indivíduo. E este desenvolvimento ocorre tanto no ambiente familiar como no escolar.

Por vezes determinamos a hora em que nossos filhos irão fazer tais coisas comparando-os com os outros alunos da turma da escola, com os filhos de nossas amigas, ou, então, com os irmãos.

A comparação pode acarretar ansiedade, desânimo, frustração e até traumas.

A psicóloga Elisabete Pimentel afirma:

"Quando os pais fazem comparações entre os filhos ou comparam estes com os filhos dos outros, a criança sente que não é apreciada como é, que teria que ser diferente para ser aceita e amada. Quando os pais só percebem e apontam os erros como se acertar não fosse mais que obrigação, o filho acredita que nunca vai conseguir corresponder às expectativas e que é preciso ser perfeito para ser aceito".

E, se, ao invés de comparar, começarmos a estimular de alguma forma?

O que a família pode fazer ou quais estratégias seguir para impulsionar essa criança?

  • Respeitar o tempo: essa sim seria a mais importante das dicas. Como já dissemos, cada um possui um ritmo particular de desenvolvimento e respeitar esse tempo é fundamental para um crescimento saudável;

  • Alimentação com qualidade: vivemos a era do fast food. Alimentação saudável é importante não somente para as crianças, mas para todas as idades. Hábitos saudáveis com relação ao tipo de alimento que consumimos ajuda no equilíbrio do organismo e mantém o corpo em ótimo funcionamento;

  • Dormir bem: quanto menor a criança, maior deverá ser o período de sono. A rotina ajuda muito para que consigamos cumprir com os horários certos de colocar as crianças para dormir. Criança que não dorme bem e o suficiente para idade, apresenta durante o dia irritabilidade, cansaço e baixo desempenho escolar;

  • Brincar: naturalmente a criança é agitada, com muita energia, brinca, corre, pula e fala como uma matraca... enfim, a criança é cheia de VIDA. Brincadeiras ao ar livre, jogos de estratégia com tabuleiro, andar de bicicleta, pular corda assim como outras atividades ajudam no crescimento e estimulam o relacionamento social, além de tirá-los de frente da tv e dos jogos eletrônicos;

  • Conversar e interagir com a família: a última dica é fundamental para o estreitamento de laços. A criança precisa estar bem em seu desenvolvimento físico, mas também precisa estar bem "dentro". Dizer como se sente diante das situações ajuda na expressão dos sentimentos e um momento bom para essas conversas é em volta da mesa nas refeições ou antes de dormir.

Comece a observar o seu gramado. Dedique-se a ele, reserve um tempo de qualidade para cuidar dele. Não desperdice a vida suspirando e reclamando porque o outro gramado parece mais verde. Foque nas qualidades do seu gramado e ele crescerá "verdinho".

Agradeça sempre e seja feliz e livre de comparações.

Um grande beijo. 


Como está o retorno às aulas?

Por Rute Góes

O segundo semestre chegou com tudo e a garotada vive sempre animada para o retorno das atividades.

No mês de junho falamos bastante sobre férias, viagens e atividades em família.

Agora é hora de reorganizar a rotina, mochilas e lancheiras que o semestre já começou.

No período de férias é natural as famílias deixarem as crianças dormirem um pouco mais, sem horário para se levantar e um período estendido de permanência na tv.

Com o retorno das aulas e para o bom rendimento do aluno na escola é importante que a família estabeleça uma rotina para a criança com horários reservados de brincadeiras, TV, estudo, sono (de acordo com a faixa etária), alimentação correta e escola.

É sempre importante que os responsáveis por esses alunos verifiquem com frequência a mochila, os cadernos e estojo. Esse é um bom momento para a troca dos materiais gastos como lápis, canetinha e ou massinha de modelar.

Depois do mês de julho todo em casa, o retorno para a rotina pode exigir da família um pouco de paciência. O aluno (no caso os menores) talvez precise de uma nova adaptação ao ambiente escolar.

Aqui na VEM, respeitamos o ritmo pessoal de cada criança, observando seus sentimentos e suas necessidades.

Como funciona o período de adaptação na escola?

Antes de qualquer coisa, é necessário que a família confie na escola e sinta segurança nos profissionais que irão atender esse aluno. Confiança é parte fundamental no relacionamento escolar.

Quando se trata de educação infantil, julgamos necessário um período de adaptação gradual do aluno na escola.

Esse período de adaptação deve começar sempre no início da semana, sendo de 1 a 2h o período de permanência da criança no ambiente escolar.

Lembrando que, caso o aluno esteja chorando ou pedindo pelos pais, é necessário que a família seja avisada para buscar esse aluno mais cedo.

Forçar a criança a ficar na escola, contra a sua vontade nos primeiros dias de aula não é bom.

A adaptação é uma nova fase para todos. Para a família com a mudança da rotina e a ausência da criança, para os profissionais da educação com o convívio e cuidados com o mais novo membro da turminha e principalmente para a criança com o estabelecimento de novas regras e ambiente escolar.

Abraços a todos e um ótimo semestre.


FÉRIAS ESCOLARES - Parte II

Por Rute Góes

Seguimos em ritmo de agitação das férias escolares. Semana passada conversamos um pouco sobre opções de passeio e/ou atividades para serem feitas em família sem sair de casa ou dicas de como aproveitar na sua cidade, no nosso caso, em Pirassununga.

Como ainda estamos na metade do mês, temos tempo para uma aventura tamanho família. Trago algumas sugestões de lugares onde estive com os meninos que valeu a pena conhecer:

- Águas de Lindóia: 135 km de Pirassununga, a cidade é excelente para passear em família. Um hotel com pensão completa é ótimo para atender as necessidades de todos. Na praça "Ademar de Barros", localizada em área central, tem aluguel de bicicleta, passeio de pedalinho, charretes, pôneis e feirinha de artesanato e roupas de tricô para os mais velhos. O Balneário oferece massagem, banho de lama e água medicinal;

- Restaurante da Fazendinha: localizado em Ribeirão Preto (SP), o restaurante oferece comida típica do interior e um excelente espaço para a criançada se divertir. Após o almoço dá pra seguir para o Novo Shopping e aproveitar o "Parque do Gorilão";

- Jurassicamp: em Charqueada (SP), o espaço possui trilha ecológica, mundo dos dinossauros, usina nuclear, tirolesa, piscina, restaurante e muito mais. É diversão para toda família, sem contar que também é muito educativo. Charqueada fica a menos de 100 km de Pirassununga e o ingresso no parque oferece também lanche e almoço;

- Parque Ecológico de Americana (interior de SP): área muito arborizada com espaço para um piquenique em família. Tem pássaros, felinos e primatas. Muito bom!!! O estacionamento é ótimo e o funcionamento é de terça a domingo;

- Beto Carreiro: (região sul do Brasil) essa aventura é animal!!!! O passeio de trem simula um assalto e o Show da Hot Wheels são atrações imperdíveis do parque. Tem brinquedos para todas as idades. Em Camboriú tem a Pizzaria dos Heróis onde todos os funcionários se fantasiam de super-heróis. O cardápio é diversificado com rodízio de pizza, massas, algodão-doce, batata frita e churros. A decoração é incrível, vale a pena conferir (inclusive na coluna Roteiro Pra viajar tem mais detalhes);

- Olímpia: minha sugestão para o Thermas dos Laranjais é a família se programar para passar dois dias no parque. Tem brinquedos radicais para os mais velhos e piscinas que atendem a faixa etária dos pequenos. A maioria com aquecimento;

- Poços de Caldas: excelente lugar para passear. Os hotéis atendem aos diversos gostos e bolsos. Tem passeio de Teleférico, o Parque das Aves, a Fonte do amor, enfim, dá pra aproveitar vários dias de diversão.

Tem um site www.leveimeufilho.com. com fotos e descrição de passeios e hotéis para a família, com muitas opções para todos os gostos. Programem-se, ainda dá tempo e vejam nossos stories que estamos postando o ritmo de férias com meus meninos.

Super beijo!!!


Férias escolares, o que fazer pra entreter as crianças?

Por Rute Góes

As férias escolares acontecem em dois períodos no ano: janeiro e julho. Estamos agora no meio do ano e o momento de diversão da criançada chegou! Os professores descansam, as crianças repõem todas as energias possíveis para a chegada do 2ºsemestre, mas os pais "piram" com tanta disposição que os pequenos possuem.

Como organizar uma rotina, que tire as crianças de frente da tv o dia todo e também liberte dos jogos eletrônicos, youtube, face e celulares?

Bom, eu sou super a favor de atividades em família. Tem um autor, Gary Chapman, ele escreve sobre as "As 5 linguagens do amor". A maneira com a qual me sinto amada é com a linguagem "tempo de qualidade". O livro além de trazer informações importantes sobre o comportamento humano e maneiras de se relacionar com o outro, traz também variações como: "As 5 linguagens do amor das crianças", "As 5 linguagens do amor dos adolescentes" entre outras literaturas do mesmo autor que vale a pena.

Nos relacionamentos familiares é importante descobrir qual a maneira de amar de cada um. Quando falamos de "tempo de qualidade", falamos de momentos únicos que passamos em família, no caso aqui, com os filhos, com qualidade, isto é, dedicação a eles. Ver o que eles gostam e querem fazer, e neste momento é somente pais e filhos. Sem celulares, telefone, computador, trabalho ou preocupações. É um tempo juntos!!!


Vou falar sobre algumas sugestões de atividades em família para curtirmos juntos:

Soltar pipa: o mês está propício por causa do tempo. As pipas são investimentos baratos e resgatam as brincadeiras antigas. Aqui em nossa cidade (Pirassununga/SP) existem lugares com espaço amplo aberto para esse tipo de prática como o campo do Complexo Esportivo Presidente Médice;

Andar de bike: na Universidade de São Paulo, Campus Pirassununga, temos uma ciclovia que vai do portão central até a associação de funcionários com playground para criançada. É seguro, saudável e possibilita a apreciação da natureza durante o passeio;

Piquenique: no "Castelinho Municipal", temos espaço de parquinho com areia e mesas para um piquenique. Dá até pra combinar com os amigos da escola e fazer uma grande festa;

Artes: está em alta as famosas "slimes". Com materiais como cola, ativador, glitter, isopor em bolinha, corante e muita criatividade pode ser feito em casa com toda a família ou para quem não tem essas habilidades, a papelaria Ideal em Pirassununga/SP, neste mês de férias oferece a Oficina de Slime aos sábados as 11h da manhã;

Lago municipal: aqui encontramos passeio de pedalinho nos finais de semana, espaço para brincadeiras no playground, piquenique, jogos e brincadeiras livres;

Biblioteca Municipal: para os amantes de livros como eu e que querem despertar nos pequenos essa paixão, uma dica interessante é fazer a carteirinha da biblioteca para retirada de livros;

Pipoca em casa: a Netflix na pasta "filmes para toda a família" traz clássicos como: Matilda, Operação Cupido, Abracadabra, Gasparzinho o fantasminha camarada, Cheque em branco, Bunks, Os batutinhas, Querida encolhi as crianças, ET o extraterrestre, O mentiroso e muito mais;

Jogos de tabuleiro: dama, ludo, jogo da vida, banco imobiliário para os mais antigos e puxa-batatinha, detetive, cara-a-cara, imagem e ação, são jogos divertidos para toda a família;

Culinária: com esse friozinho dá pra fazer chocolate quente, bolo e a minha sugestão é a receita "nega maluca", as crianças amam. Biscoito amanteigados, a receita é fácil e é possível fazer e depois cortar com forminhas de inox antes de levar ao forno. A criança participa da receita e depois experimenta o que ajudou a preparar. Minha sugestão de site www.tudogostoso.com.br 

Hoje, eu trouxe sugestões para curtir em casa e aqui em Pirassununga/SP. Semana que vem, vamos apresentar opções de viagens, sigam a coluna... Agora é só se programar e aproveitar o mês de férias da criançada. Um super beijo!!!!! 


A importância das tarefas para casa

Por Rute Góes

Quando o assunto é "tarefa para casa", temos um time que é super a favor dos exercícios e outro que se opõe rigorosamente a essa prática.

Mas o que são as famosas tarefas para casa?

Alguns apontamentos mostram que alunos que não realizam as tarefas apresentam baixos desempenhos comprometendo a vida escolar.

As tarefas compõem exercícios, pesquisas, leituras entre outras, cumprindo um papel fundamental no processo de aprendizagem reflexão, expressão, maturidade e crescimento pessoal do aluno. Além disso as tarefas servem como instrumento de avaliação para os professores permitindo observar as possíveis dificuldades.

A família por sua vez, precisa compreender que independente da faixa etária do aluno, as tarefas ocorrem como objeto de complementação da vida escolar e os pais e responsáveis devem acompanhar de perto essas atividades extraclasse.

Entre os benefícios das tarefas, podemos destacar que:

  • Para a assimilação de um conteúdo é necessário que o aluno pratique em forma de exercícios para apontamento de dúvidas e dificuldades;
  • As tarefas exigem dos alunos outras habilidades como organização, capricho e comprometimento;
  • Desenvolve a autodisciplina e a responsabilidade com essa prática;
  • Reforça a memorização dos conceitos trabalhados em sala de aula;
  • Cria hábitos de estudo, contribuindo para o desenvolvimento cognitivo.

Se analisarmos, podemos destacar que a tarefa é importante para todos os envolvidos nesta caminhada escolar (aluno, família e professor).

Para o aluno, a tarefa permite que cada um enfrente os desafios pedagógicos fora do ambiente escolar e fixe os conteúdos propostos. Já para o professor, é possível identificar o rendimento escolar de seu aluno. E para a família, possibilita o acompanhamento do desenvolvimento do seu filho, além de estreitar os laços de relacionamento familiar (eu, particularmente, amo esse último, rsrsrs. Nas fotos, esse tempo precioso com meus filhos).

Samuel está no Ensino Fundamental I
Samuel está no Ensino Fundamental I
Mateus está no Pré da Educação Infantil.
Mateus está no Pré da Educação Infantil.

E por vivermos em um mundo acelerado, onde as pessoas correm por todos os lados. Não há tempo para sentimentos, abraços... não há tempo para ouvir o outro, a tarefa de casa pode ser essa grande oportunidade...

Vale lembrar que para que esse momento seja satisfatório, é necessário que em casa o aluno tenha um ambiente adequado para os estudos, com iluminação e materiais.

O familiar que irá acompanhar nas tarefas escolares precisa separar um tempo de dedicação para isso, demonstrando interesse, tranquilidade e disposição.

Aproveitem este momento para deixar os celulares, panelas e trabalho de lado e passem um período com o filho. Posso garantir que os benefícios emocionais serão tão satisfatórios quanto os cognitivos.

E pra finalizarmos, é importante ressaltar que a família pode e deve orientar, pesquisar junto e até auxiliar na construção de maquetes ou cartazes, mas a realização de todo o trabalho é tarefa do aluno.

Linda semana a todos.

Beijão.


Para você MÃE

Por Rute Góes

Todos os anos, nunca deixamos de comemorar essa data tão incrível em nossas escolas. Mãe, pai-mãe, avó-mãe, tia-mãe, madrinha-mãe... de sangue ou de coração isso não importa.

Mulher, educadora, enfermeira, psicóloga, cozinheira, administradora, arquiteta, fazedora suprema...fomos formadas por Deus com características e habilidades para conduzir vidas, apoiar e acalentar. Reconhecemos o som do choro a quilômetros de distância e acordamos várias vezes durante a noite. Trabalhamos dentro do lar e também fora dele. Vamos a igreja, supermercado, fazemos faculdade, organizamos festas, compramos presente, cuidamos do cachorro, hidratamos o cabelo ao mesmo tempo que colocamos a roupa na máquina e olhamos a panela no fogo. Dormimos tarde e acordamos cedo. Não ficamos doente NUNCA.

Sempre atentas nos doamos para a alegria do outro.

As vezes o coração aperta e surgem muitos questionamentos: "O berço é muito grande e frio?", "Ele ficará bem na escola sem mim? E se um coleguinha bater?" ou então "Será que estou sendo uma boa mãe?".

A maioria das mamães dizem que gostariam de passar mais tempo com seus filhos e algumas sentem-se culpadas por não conseguirem.

Acalmem os corações!!!

Eu costumo dizer para minhas mamães aqui da escola que "uma mãe sempre sabe exatamente o que seu filho precisa" e lembrem-se VOCÊS ESTÃO NO CAMINHO CERTO.

Deus nos fez assim. Umas tem cabelos lisos, outras enrolados. Alta, baixa, olhos castanhos ou pretos como duas jabuticabas. Somos fortes. Providas de uma força ímpar. Lutamos pelo que amamos e acreditamos. Choramos, choramos muito e muitas vezes escondido. E isso nos torna mais fortes ainda.

Passamos por grandes dificuldades e superamos cada uma das adversidades desta vida com êxito.

Carregamos o mundo dentro de uma bolsa: batom, remédio, creme para as mãos, chupeta, troca de roupa, agenda, celular e até um lanchinho para a tarde. As mais fitness preferem uma frutinha.

Seria impossível calcular a jornada de trabalho que cada uma exercemos com dedicação exclusiva e tempo integral. Mas se questionadas se gostariam de ter outra vida... hummmm, todas diriam que NÃO!

Abraços, Rute

A seguir, momentos maravilhosos da nossa comemoração de Dia das Mães na VEM- Centro de Educação 


Tornar-se professor

Por Rute Nunes Góes*

Quando se é criança, muitas são as expectativas quanto a escolha da profissão. Os pais sempre fazem muitos planos e as crianças ficam envolvidas num turbilhão de ideias e informações.

Tem pessoas que acreditam que a escolha da profissão é vocação. Há quem pense que na verdade é a profissão que nos escolhe. Eu acredito que nascemos com um DOM especial para desenvolvermos durante a vida, uma vocação, um chamado.

Desde pequena sempre fui apaixonada por escola, uniforme, lápis, tinta, massinha de modelar...Mas preciso confessar que tive minha inspiração pessoal, tive uma professora inesquecível que me incentivou muito nesta escolha.

Baixinha e gordinha, com ela aprendi a escrita do meu nome e manusear pincéis, carbono, tinta e papéis. Pintura era com ela mesma. As recheadas pastas com riscos e figuras recortadas de jornais e revistas dos futuros quadros que ela pintaria.

Ela era professora de 1ºgrau, eu amava mexer nos carimbos e cadernos de atividades que ela preparava para seus alunos. Com 8 anos me presenteou com a coleção de clássicos infantis dos contos de fadas. Li cada um deles e meu preferido até hoje é "A Bela Adormecida".

Passava horas a escrever na lousa brincando de "escolinha", rodeada de livros, folhas e planos de aulas.Fui crescendo e me apaixonando cada dia mais por esse universo.

A escola se tornou minha casa. Percebi o quanto é possível mudar vidas e situações por meio do ensino. Acredito que cada um pode contribuir positivamente com o mundo.

Fiz magistério, depois me graduei em Pedagogia. Meu sonho pessoal sempre foi ter uma escola, carteiras, pátio e muitas crianças correndo para todo lado. Sonhei, planejei, fiz rascunhos e mais rascunhos. Trabalhei muito.

Hoje minha professora inesquecível não está mais aqui, mas as mais lindas e doces recordações estão vivas na memória como dizia Rubem Alves "Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra. O professor assim, não morre jamais".

Eu tenho alguns coraçõezinhos onde planto sementinhas diárias de afeto, princípios, educação, companheirismo, mordomia e caráter, crendo que o campo é fértil para o desenvolvimento do ser humano e "cada professor, mestre, ensinante escolhido ficou na memória por décadas por ter sido um modelo, uma referência marcante e clarificadora de como ser. Pelas páginas deste livro, se respira, transpira, pelos poros atravessam saudades. De um ser especial, duma escolha feita, dum caminho encontrado"(ABRAMOVICH, 1997, p.6).


Essa é nossa colunista RUTE NUNES GÓES

Diretora VEM - Centro de Educação 

Professora Universitária da FATECE 

Uma mulher apaixonada pela educação e a mesma garotinha que sonhou desde pequena em ser educadora e CONSEGUIU!

A mamãe de dois meninos incríveis, traz em si a dedicação também com os filhos de outras tantas famílias. São filhos, sobrinhos, netos... Crianças que ela promove na escola que dirige. Além, de formar nos cursos de ensino superior, pedagogos para a esperança da sociedade!